Prêmio Transformação Digital Brasil

Personalidade do Ano - Forças Armadas

Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato

Comandante da Aeronáutica: Reestruturação Organizacional e Administrativa da Força Aérea Brasileira
forcas-armadas
Tenente-Brigadeiro do Ar Aprígio Azevedo, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato e Miguel Ignatios

Na segunda-feira, 27/08/2018, o Comandante da Força Aérea Brasileira (FAB), Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, foi homenageado como Personalidade do Ano – Forças Armadas pela Reestruturação Organizacional e Administrativa da Força Aérea Brasileira, na 17ª edição do Prêmio Learning & Performance Brasil, promovido pela MicroPower e pelo Institute for Learning & Performance.

O Comandante da Força Aérea Brasileira subiu ao palco e recebeu uma placa, como símbolo da homenagem, das mãos do Tenente-Brigadeiro do Ar Aprígio Azevedo e Miguel Ignatios e compartilhou com os presentes que esse reconhecimento é motivo de muito orgulho para todos os militares.

Discurso de Agradecimento

“Sr. Presidente do Institute for Learning & Performance, Francisco Antonio Soeltl, na Pessoa a quem eu saúdo nas demais autoridades e personalidades presentes ao Prêmio Learning & Performance Brasil 2018/2019.

Eu fico honrado com esse Prêmio para a Força Aérea, principalmente vindo de Pessoas tão ilustres como os senhores, onde eu incluo o Brigadeiro Azevedo, que foi o meu instrutor desde os tempos de 1º/4º, em meados da década de 70.

O voo do homem através da vida é sustentado pela força de seus conhecimentos. São as sábias palavras de Alberto Santos Dumont, um brilhante brasileiro e patrono da Aeronáutica.

Habilidades do ser humano de reter informações e utilizar o produto de suas ideias para modificar o mundo a sua volta, é o que nos diferencia dos demais seres vivos. É o que possibilitou ao mesmo homem, que um dia escrevia em paredes de cavernas, e se esforçava para dominar o fogo, no outro dia conseguir desbravar o espaço e chegar a lua.

Tão importante é o papel do conhecimento, do processo evolutivo, que o próprio progresso da humanidade, é definido por passagens históricas, relacionadas a forma como registramos e transmitimos o conhecimento. A invenção da escrita, foi um desses grandes marcos históricos. Outro marco foi a utilização do papiro e depois do papel, para que escrituras, que antes eram feitas em pedras, pudessem ser transportadas com maior facilidade e alcançasse novos horizontes.

O surgimento das bibliotecas possibilitou a ampliação do acesso à informação e a invenção da máquina da imprensa, potencializou a circulação de ideias e pensamentos revolucionando toda uma era.

Como vemos, feitos que começaram com aquele ancestral que desenhava em cavernas, foram se acumulando e uma quantidade enorme de conhecimentos, que passo a passo, foram sendo aprimorados por aqueles que inquietos, com a imperfeição da situação atual, tiveram a coragem, a ousadia e a ambição de mudar. Foram essas pessoas ousadas, que ao desafiar o lugar comum, descobriram a cura para doenças imaginadas incuráveis, desenvolveram soluções para problemas insolúveis e inventaram novas maquinas que hoje nos levam a lugares anteriormente inalcançáveis.

Eles transformaram o mundo de sua época em um mundo melhor, mas ainda imperfeito e repletos de desafios. Foi esse mundo imperfeito que Santos Dumont recebeu de Arquimedes, Leonardo da Vinci e Bartolomeu de Gusmão. Foi esse mundo imperfeito que Santos Dumont nos deixou como herança, para a partir dele, conquistarmos novos desafios. Assim o nosso inventor deu mais um grande impulso nesse voo do homem através da vida e reforçou a certeza que nosso voo não tem destino final.

Cito o gênio Santos Dumont como exemplo, mas lembro que a nossa sociedade não foi construída somente pelos grandes nomes. Somos produtos de ações de milhares de anônimos, que na astucia cotidiana, resolveram com maestria, os desafios que estavam ao seu alcance.

Diante desse legado, temos a obrigação de continuar a busca por um mundo melhor. Temos a obrigação de aprender com os erros e acertos do passado e, daqui em diante, voltar os olhos para um futuro mais eficiente.

É nesse contexto que a Força Aérea Brasileira, a nossa Força Aérea, formada por brasileiros a serviço do Brasil, se sente na obrigação de prestar um serviço cada vez mais eficiente para a nossa sociedade, sempre visando a eficiência administrativa e operacional.

A FAB passou nesses últimos anos por uma intensa reestruturação, oportunidade em que desenvolvemos projetos de transformação em diversas áreas de atuação, reorganizamos a distribuição de nossas unidades aéreas, de forma a potencializar o seu treinamento e facilitar o seu emprego. Retiramos a carga administrativa que pesava sobre os ombros de nossos combatentes e centralizamos essa carga em unidades administrativas especializadas, resultando na economia de escala, na execução financeira e no melhor aproveitamento das competências de nosso efetivo.

Investimos também, e muito, na educação e treinamento de nosso pessoal. Modernizamos a metodologia de nossas escolas de ensino e buscamos a parceria com diversas instituições de ensino no Brasil e no exterior para ampliar a capacidade de nosso efetivo.

Deixamos a nossa carga mais leve também pela busca de parcerias público- privadas. Com isso, transferimos para nossos parceiros o encargo de atividades de suporte que onerava a nossa atividade fim e desviava o foco da instituição, que deve estar prioritariamente voltada a defesa dos 22 milhões de quilômetros quadrados de espaço aéreo que estão sob a nossa responsabilidade.

Portanto, eu recebo esse Prêmio, em nome de todos os nossos militares que trabalham para controlar, defender e integrar essa imensidão de espaço aéreo e que embarcaram com confiança e abnegação neste voo de transformação da Força Aérea Brasileira.Não há como uma instituição crescer, se não pela força e dedicação de seus homens e mulheres e foram esses homens e mulheres de azul que tiveram a coragem, a ousadia e a ambição de mudar.

Destaco também que não há como a nação crescer que não seja pela união dos esforços dos diversos setores da sociedade, em prol de um objetivo comum, o público e o privado, o civil e o militar.

Não faz sentido algum falarmos em nós ou vocês. Todos fazemos parte da mesma essência, todos somos um só povo, como os mesmos anseios de bem-estar, segurança e liberdade. A defesa da pátria não é responsabilidade exclusiva militar, somos todos igualmente responsáveis pelo sucesso de nossa nação e devemos trabalhar juntos para isso.

Finalmente, eu destaco o brilhante papel desempenhado pelo Institute for Learning & Performance, que ao valorizar as iniciativas de produtividade, desempenho, resultado e competividade, também dá um importante impulso para que o voo do homem através da vida, siga seus caminhos de bem comum e do progresso, dando a sustentação para que o mundo de amanhã seja sempre melhor do que é hoje.

Parabéns ao Institute for Learning & Performance. Parabéns a todos os agraciados dessa noite. Que sejamos todos muito felizes nesse futuro que juntos estamos escrevendo. Muito obrigado”, Concluiu.

Sobre

Nascido em 26 de Agosto de 1951, é natural da cidade de São Gabriel, localizada no Estado do Rio Grande do Sul.
Ingressou na Força Aérea Brasileira em 31 de março de 1969, tendo concluído o Curso de Formação de Oficiais Aviadores em dezembro de 1975. Foi promovido ao atual posto em 31 de março de 2011.

É piloto e instrutor de caça e tem mais de 3.500 horas de voo nas seguintes aeronaves: T-23 Uirapuru, T-37 Dragonfly, U-42 Regente, T-25 Universal, At-26 Xavante, C-95 A / B / C e Bandeirante, P-95 Bandeirulha e C-115 Búfalo.

Foi Instrutor da Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais da Aeronáutica; Comandante do Segundo Esquadrão do Quinto Grupo de Aviação; Comandante do Esquadrão de Comando da Base Aérea de Canoas; Comandante do Grupo de Serviços de Base da Base Aérea de Santa Maria; Comandante do Terceiro Esquadrão do Décimo Grupo de Aviação; Chefe da Seção de Operações do Comando Aéreo de Treinamento; Chefe do Estado-Maior do Comando da Aéreo de Treinamento; Adido Aeronáutico na Venezuela; Vice-Chefe do Centro de Comando e Controle de Operações Aéreas do Comando Geral de Operações Aéreas; Chefe do Estado-Maior do Comando Geral de Apoio; Comandante da Terceira Força Aérea; Chefe do Estado-Maior do Comando Geral de Operações Aéreas; Comandante do Quinto Comando Aéreo Regional – V COMAR; Diretor-Geral de Ensino da Aeronáutica; Comandante-Geral de Operações Aéreas e Chefe do Estado-Maior da Aeronáutica.

Possui os seguintes Cursos Acadêmicos: Curso de Oficiais de Aviadores; Curso de Formação de Oficiais Aviadores; Curso de Tática Aérea; Curso de Padronização de Instrutor I e II; Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais; Curso de Segurança de Voo no Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos; Curso Superior de Comando e Estado-Maior; Curso de Política e Estratégia Marítima.

Possui, também, os seguintes cursos operacionais: Piloto de Caça, Líder de Esquadrilha, Líder de Esquadrão e Líder de Grupo da Aviação de Caça; Piloto operacional de Transporte de Tropa; Inspetor da Aviação Civil e Curso de Comando e Controle na Força Aérea Francesa.

Galeria de fotos

Realização

Patrocínio

Apoio institucional