Personalidade do Ano - Forças Armadas​

Gen Ex Edson Leal Pujol​

Principais realizações do Exército Brasileiro

O Exército Brasileiro, desde sua gênese, em 1648, contribui com a sociedade brasileira, seja na defesa da soberania do nosso País, em tempos de guerra, ou participando de ações subsidiárias, em tempos de paz. Sua atuação, em território nacional e no exterior, garante ao Brasil posição de destaque no cenário das nações.

Dentre outros feitos em prol da nação brasileira e em defesa da liberdade, ressalta-se a participação da nossa Força, única no concerto dos países sul-americanos, na II Guerra, maior conflito da História mundial.

Acresce-se, ainda, em ambiente externo às nossas fronteiras, a presença do EB, desde 1947, nas missões de paz, sob a égide da Organização das Nações Unidas (ONU) ou da Organização dos Estados Americanos (OEA). São mais de quarenta e quatro mil militares que, sustentando a Bandeira Nacional e com seus capacetes azuis, atuam em zonas de conflito em países da África, Oriente Médio, América do Sul e Europa, elevando o nome do Brasil ao redor do globo.

Em busca de inovação e excelência, o Exército Brasileiro, valendo-se de empresas estatais e privadas, que conformam a Base Industrial de Defesa, trabalha em conjunto e harmonicamente com estas iniciativas nos mais variados ramos, proporcionando oportunidades de parcerias com diferentes entidades do setor industrial brasileiro, em especial aquelas voltadas para os produtos estratégicos de defesa. Neste contexto, estão em desenvolvimento diversos programas que, aliados às missões constitucionais, permitem à sociedade brasileira uma melhor qualidade de vida, levam prosperidade aos pontos mais distantes deste imenso território e contribuem para a integração nacional deste país-continente.

Destacam-se, inicialmente, os Programas do Portfólio Estratégico do Exército. Tais ações permitem a consecução de um projeto forte de defesa, baseado na mobilização de recursos físicos, econômicos e humanos. Assim, aumenta-se o investimento no potencial produtivo do país e na capacitação tecnológica autônoma, maximizando o desenvolvimento nacional.

Um dos Programas deste Portfólio é o Sistema de Monitoramento de Fronteiras (SISFRON). Este programa objetiva a implantação de um sistema que potencialize a ação do Estado na faixa de fronteira terrestre, ampliando a presença e a capacidade de atuação dos entes governamentais por meio de equipamentos de sensoriamento, de apoio à decisão e de apoio ao emprego operacional, colaborando para o bem-estar nacional. O SISFRON foi inicialmente estabelecido como Projeto-Piloto na fronteira oeste do Brasil, região onde está estabelecida a 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada, em Dourados, no Mato Grosso do Sul. Em fase de expansão, o programa seguirá para a fronteira sul, nos estados do Paraná e Santa Catarina, e aperfeiçoará, também, a vigilância e o monitoramento dos nossos limites sob responsabilidade dos nossos Pelotões Especiais de Fronteira.

O Programa Defesa Cibernética é outra parte importante do Portfólio. Dentre os diversos planos previstos, ressalta-se o Projeto de implantação do Sistema de Homologação e Certificação de produtos de Defesa Cibernética. Este Projeto tem por objetivo dotar o país de uma estrutura dual capaz de avaliar e certificar produtos para o emprego no setor cibernético e de Tecnologia da Informação, potencializando a segurança do espaço cibernético nacional.

No mesmo viés, o Programa Estratégico Gestão de Tecnologia da Informação e Comunicações é um conjunto de projetos que visa dar ao Exército, neste campo de atuação, o suporte necessário para o cumprimento de sua missão. Por intermédio desse Programa é possível oferecer informações corretas e oportunas e meios eficazes, de modo a garantir liberdade de ação no espaço cibernético e no espaço geoestratégico de interesse da Nação.

São soluções de sistemas corporativos para preparo e emprego da tropa e também para o apoio administrativo. Tais sistemas usam a base de Dados corporativa integrada, consistente e disponível, geram e disponibilizam geoinformação precisa e oportuna, além de proporcionar meios para uma administração moderna, ágil e eficiente. Todos estes sistemas são executados em uma infraestrutura robusta, resiliente, adequada às demandas corporativas do Exército.

Nela destaca-se o Datacenter, instalado no Setor Militar Urbano, em Brasília, responsável por alta disponibilidade e confiabilidade na hospedagem e execução dos sistemas corporativos. As diversas organizações militares da Força desdobradas em todo o território nacional, comunicam-se por intermédio da rede de comunicação integrada, EBNET, reunindo meios de comunicação de voz, dados e videoconferência.

No âmbito da segurança da informação, soluções são implantadas ligadas à proteção cibernética, criptografia, implantação de normas baseadas nas melhores práticas (ISO 27000) e estrutura de Guerra Eletrônica. Neste campo, técnicas também são desenvolvidas para desenvolvimento seguro de sistema e para a verificação de vulnerabilidades em códigos.

Além destes, a produção de radares de vigilância é uma marcante interação entre o Exército Brasileiro e a sociedade científica nacional. O desenvolvimento de equipamentos de alta tecnologia, totalmente produzidos no Brasil, garantem a segurança de nosso território, além de fomentarem a indústria nacional, gerando empregos e oportunidades para a comunidade dos ramos científicos e tecnológicos. São exemplos de sucesso dessa interação os radares M-60 SABER, M-20 SENTIR e M-200 SENTINELA.

O radar M-60 tem emprego híbrido, podendo ser utilizado como radar de vigilância aérea e terrestre. Está distribuído por inúmeras Organizações Militares das Forças Armadas e já foi exportado para outros países. Da mesma família de radares, o M-20 destaca-se pela sua tecnologia agregada e pela capacidade de detecção de alvos terrestres. O SENTIR possui ainda emprego dual, pois pode detectar e acompanhar falhas geológicas do terreno, dando o alerta antecipado para possíveis deslizamentos de terra que, invariavelmente, ceifam vidas de famílias inteiras que vivem em áreas de risco. Por fim, o radar M-200 levará o Brasil à um seleto grupo de países que detém a tecnologia capaz de permitir o acompanhamento, detecção e engajamento de alvos aéreos a grandes distâncias. Em fase final de prototipagem, o SENTINELA poderá ser empregado para fins civis, especialmente no controle do espaço aéreo e no controle de voos dos aeroportos brasileiros.

O Projeto Amazônia Conectada tem como meta expandir a infraestrutura de comunicações na região amazônica. Nesse ramo, o Exército lidera o Projeto Infovias, cujo objetivo é implantar a infraestrutura ótica subfluvial nos leitos dos rios. Tal iniciativa já está levando comunicação de qualidade às localidades mais remotas da Amazônia, contribuindo para as ações do Governo Federal no âmbito do Programa Nacional de Banda Larga na região amazônica. De interesse nacional, o Amazônia Conectada extrapolou a esfera da Força Terrestre e hoje tem a sua gestão compartilhada pelos ministérios da Educação e Ciência, Tecnologia, Comunicações e Inovações.

Hoje em dia, o Exército, junto às demais Forças Armadas, possui a plataforma de alistamento militar online. Esta ferramenta permite ao jovem que completa 18 anos cadastrar-se no banco de dados de alistamento e acompanhar seu processo pela internet. Com isso, há redução de gastos, economia de tempo e rapidez de comunicação, facilitando a vida do cidadão e a gerência de dados dos futuros reservistas. Ressalta-se também o trabalho de Comunicação Social, cuja finalidade é preservar e fortalecer a imagem da Força perante a sociedade brasileira e à comunidade internacional, difundindo o trabalho, a importância, os princípios, os valores e os atributos militares que embasam e norteiam o Exército Brasileiro.

A era do conhecimento consagra a busca e a necessidade da materialização de avanços técnicos e científicos como os agentes que definirão o relacionamento entre as nações e o bem-estar de suas sociedades. Dessa forma, o Exército Brasileiro tem buscado sua modernização e transformação para estar à altura das mais elevadas aspirações do país, reduzindo as diferenças tecnológicas que infligem desvantagens consideráveis à manutenção dos interesses nacionais.

Por intermédio do Departamento de Ciência e Tecnologia, implementou o Sistema Defesa, Indústria e Academia de Inovação (SisDIA), de abrangência nacional, cujo principal objetivo é promover a inovação, assumindo como pilares a Tríplice Hélice e a Inovação Aberta. O SisDIA busca incrementar a cooperação entre as instâncias governamentais de todos os níveis, a base industrial brasileira e as universidades.

Percebe-se, portanto, que o Exército Brasileiro se mostra em harmonia com os interesses nacionais. A promoção de programas que ajudam a sociedade nos diversos campos de atuação da Força garante melhores condições de vida a todos. Assim, a Instituição mantém seu alto nível de confiabilidade perante seu povo, servindo de referência de credibilidade e responsabilidade em nível nacional e internacional.

Sobre

Gen Ex Edson Leal Pujol

curriculum-vitae
curriculum-vitae-pag1
curriculum-vitae-pag2

Realização

Patrocínio

Apoio institucional