10-Expectativas-quanto-ao-futuro-do-e-Learning-no-Brasil-p2004

Expectativas quanto ao futuro do e-Learning no Brasil



1.) Objetivo

O Portal e-Learning Brasil realizou esta pesquisa com
o objetivo de identificar quais as expectativas das organizações brasileiras quanto ao futuro do
e-Learning em 2004.

2.) Metodologia

Foi realizado um levantamento quantitativo nos meses de janeiro e fevereiro de 2004, por meio do portal e-Learning Brasil, aplicado a 312 organizações brasileiras. A análise abordou 5 tópicos distintos:

  • Interesse pelo e-Learning nas Organizações
  • Orçamento definido para 2004
  • Percentual do budget dirigido ao e-Learning
  • Principal motivação para adoção do e-Learning
  • Principal barreira para adoção do e-Learning


3.) Características da amostra

A amostra analisada possui uma distribuição variada de empresas pertencentes a 5 regiões brasileiras (região sudeste, centro-oeste, norte, nordeste e sul). A pesquisa consultou 312 organizações, nos setores de educação (32%), tecnologia (16%), consultorias (10%), e-Learning (8%), governo (5%), treinamento (4%), entre outras(12%).

4.) Resultados

4.1) Interesse pelo e-Learning nas Organizações

Mais da metade dos executivos consultados (54%) expressaram que o interesse pelas práticas de e-Learning nas suas organizações aumentará consideravelmente em 2004. No entanto, 45% consideram que o interesse pelo e-Learning em 2004 será o mesmo que em 2003, ou terá apenas um pequeno crescimento.

4.2) Orçamento definido para 2004

Quanto a possuir um orçamento definido para o e-Learning em 2004, do total das empresas que responderam, 66% disseram não ter definido este budget, enquanto 34% afirmaram já possuir esta definição.


Com relação aos resultados obtidos na pesquisa “O e-Learning tem orçamento previsto para 2003?”, houve uma diminuição do número de empresas que definiram o orçamento em 2004, conforme podemos observar no gráfico abaixo:


4.3) Percentual do budget dirigido ao e-Learning

Quanto as empresas que possuem um budget destinado a área de treinamento, questionamos qual o percentual deste orçamento será dirigido ao e-Learning. Muitas organizações (45%) responderam que será dirigido para as aplicações de e-Learning entre 1 e 10% do orçamento geral de treinamento; 15% afirmaram que este percentual será entre 11 e 20%, e 9% disseram que será dirigido entre 31 e 41%.

Um dado curioso obtido nesta análise: do total das empresas que responderam a pesquisa, 8% delas afirmaram que irão dirigir ao e-Learning entre 31 e 50% dos seus budgets gerais de treinamento (4% entre 31 e 40% e 4% entre 41% e 50%). Do geral, 3% consideram que irão utilizar entre 91 e 100%.

Finalizando esta análise, 13% das organizações afirmaram que não farão qualquer tipo de investimento em e-Learning este ano.

4.4) Principal motivação para adoção do e-Learning

Do geral, 30% das organizações demonstraram que a redução dos custos de viagens, hospedagem, transporte e a maior rapidez no processo de treinamento (29%) serão, respectivamente, as principais motivações para a adoção do e-Learning em 2004.

Mesmo com a recente mudança do Ministério da Educação, 16% das organizações atribuem ao governo a motivação para adoção do e-learning em suas organizações, pois acreditam nos incentivos propostos para a educação a distância em 2004.

Finalizando esta análise, 12% das organizações afirmaram que a retenção e aprimoramento de talentos será uma das grandes motivações para a adoção do e-Learning em 2004.

4.5) Principal barreira para adoção do e-Learning

Do total das organizações, 41% acreditam que o investimento em tecnologias, como LMS´s (Learning Management Systems ou Gerenciadores de Aprendizagem), ferramentas de autoria, etc, será a principal barreira para a adoção do e-Learning em 2004. Outro fator mencionado por 30% das organizações foram as barreiras culturais, ou seja, a resistência por parte dos funcionários à esta nova modalidade de ensino.

Finalmente, apenas 10% das organizações acreditam que o investimento em consultorias especializadas de e-Learning será uma barreira para a adoção do e-Learning. Este dado indica que 90% das organizações estão mais confiantes nas consultorias especializadas deste segmento.

5.) Conclusões

Os resultados obtidos nos cinco tópicos abordados desta pesquisa, aplicado às 312 organizações brasileiras de diversos setores, permitem concluir que elas estão otimistas quanto a utilização das práticas de e-Learning em 2004, uma vez que mais da metade dos executivos consultados (54%) expressaram que o interesse pelas práticas de e-Learning nas suas organizações aumentará consideravelmente este ano. No entanto, este aumento será modesto, uma vez que 45% das organizações consideram que o interesse pelo e-Learning em 2004 será o mesmo que em 2003, ou terá apenas um pequeno crescimento.

A análise permitiu concluir que não houve planejamento e definição de um orçamento específico para o e-Learning em 2004. Entretanto, das empresas que já possuem um budget geral destinado a área de treinamento, 45% responderam que entre 1 e 10% desta verba será canalizada para aplicações de e-Learning. Do total das empresas que responderam a pesquisa, 8% delas afirmaram que irão dirigir ao e-Learning entre 31 e 50% dos seus budgets gerais de treinamento; 3% consideram que irão utilizar entre 91 e 100%.

Do geral, 30% das organizações demonstraram que a redução dos custos de viagens, hospedagem e transporte e a maior rapidez no processo de treinamento (29%) serão, respectivamente, as principais motivações para a adoção do e-Learning em 2004.

As principais barreiras, entretanto, serão o investimento em tecnologias, como LMS´s, ferramentas de autoria (apontado por 41% das organizações) e também a resistência por parte dos funcionários à esta nova modalidade de ensino, conforme informado por 30% das organizações.

Compartilhe

Categorias

Assine a nossa newsletter

Fique por dentro dos principais temas em gestão, aprendizado e tecnologia do mercado!

Você também pode gostar